O Mapa de 07/08/2010

29 Jun , 2010 Diversos

O mapa astrológico de 7/8/10 é marcado por uma Grande Cruz, (vide a figura acima) uma configuração poderosa que não deve ser tratada levianamente.

Ela trata das colinas íngremes e duras realidades, obrigando a uma dedicação e energia totais, levando a uma situação acelerada que conduz à solução e ao aperfeiçoamento, ou a uma submersão e abandono que proporciona um grande aprendizado. Surgem situações difíceis até que as questões sejam tratadas de frente. É uma configuração que trata das questões básicas e vitais.

A presença de uma Grande Cruz implica que está acontecendo algo muito especial e importante, mesmo que não se perceba na ocasião. É uma questão de ‘fazer e de continuar seguindo em frente’.

As chances parecem contrárias, mas isso só acentua o estímulo para se enfrentar a situação.

Há um tremendo poder espiritual por trás de uma Grande Cruz, caso se consiga ter acesso a ele. O poder de superar as dificuldades está na evolução da consciência e em utilizar na “batalha” recursos trazidos do fundo do EU.

A quietude interior é importante para que se acalmem os conflitos e tudo fique claro. Trata-se de uma configuração de abertura… um salto quântico… clamando por uma total revolução.

Os ciclos não existem separadamente uns dos outros. Um leva ao outro, servindo cada um de passado e futuro para os demais.

Muitas vezes, acontecimentos que ocorreram em um ciclo submergem e reaparecem em outro ciclo que, então, realimenta não só o ciclo seguinte como também os ciclos anteriores.

Não podemos nos apegar a uma única configuração astrológica, pois a vida é uma série de processos temporais dentro de desdobramentos históricos.

A conjunção de Júpiter com Urano ocorre a cada 14 anos e traz mudanças e acontecimentos de importância fundamental, ainda mais agora que está ocorrendo em Áries (maio/10), conferindo poderes ilimitados para criar uma realidade em alinhamento com a mente planetária e terminando com todas as limitações de atos transformadores.

Devemos considerar também que estamos num momento planetário importante que requer um grande salto evolutivo: 2.160 anos da precessão de um signo do zodíaco na terra (era astrológica) e 25.920 anos de precessão de 12 signos do zodíaco (precessão da terra em Aquário).

Sofremos ainda as conseqüências do impacto do cometa que atingiu Júpiter em 1994, criando uma explosão nuclear em nosso sistema. Para a Terra, Júpiter rege as escolas dominadoras e as sociedades secretas. Este cometa explodiu os códigos de controle das sociedades secretas, abrindo nosso planeta para métodos estruturais de dimensões mais altas.

Desde 1987 estamos inseridos no Cinturão de Fótons impulsionando-nos a um processo de transmutação (libertação do carma negativo). Em Janeiro de 2008 Plutão entrou em Capricórnio oferecendo poderes estruturais de transformação para a humanidade e para o planeta.

Em Fevereiro de 2010 Quíron fêz uma conjunção com Netuno em Aquário libertando a cura universal e espiritual nas novas estruturas.

Como se pode notar, a configuração em questão (mapa de 7/8/2010) é apenas mais um componente de um Grande Processo. 

Colaboração: Sandra Giannoni

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *